BMS

Sem Licenças, Csn Mineração Demite 400 Trabalhadores Em Três Meses:

Data: 16/12/2017

Fonte: Notícias de Mineração Brasil

A CSN Mineração demitiu, de outubro a dezembro deste ano, cerca de 400 trabalhadores devido a redução parcial de produção. De acordo com a empresa, grande parte dos desligamentos se deve a falta de licenças para empilhamento de rejeito e estéril, além do licenciamento ambiental para a barragem da mina Casa de Pedra.

O número de demissões contrasta com a expectativa da mineradora, que no início do ano era de contratar 1 mil novos empregados, segundo informou um porta-voz da empresa, em contato por telefone com o Notícias de Mineração Brasil (NMB) nesta tarde. Além das demissões ocasionadas pela falta de licenças, o que interfere diretamente na produtividade da mineradora, algumas estavam previstas devido ao turn over da mineradora.

De acordo com uma fonte com conhecimento no assunto, consultada pelo NMB, a CSN Mineração não deve cumprir neste ano a meta de produção de minério de ferro, estipulada entre 34 milhões de toneladas e 36 Mt de minério de ferro. Segundo a fonte, a CSN Mineração deve encerrar este ano com 4 milhões de toneladas a menos do que a expectativa, ou seja, aproximadamente 30 milhões de toneladas.

Hoje, a mineradora possui aproximadamente 30 equipamentos ociosos, que não podem operar devido a falta das licenças. Enquanto não pode utilizar a barragem Casa de Pedra, a mineradora busca alternativas como o empilhamento de rejeito e estéril, porém ambos também dependem de licenciamentos.

O setor de mineração da CSN emprega, ao todo, cerca de 8 mil trabalhadores. Do total, 6 mil são empregados diretos, entre trabalhadores do setor operacional e administrativo. Além disso a empresa conta com aproximadamente 2 mil empregados terceirizados.

A discussão sobre a segurança da barragem da mina Casa de Pedra acontecem desde de outubro. Em agosto, a empresa obteve a licença para o empreendimento, no entanto, dois meses depois o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) denunciou o risco de rompimento da barragem.

Desde então, o MPMG pediu a correção das irregularidades, o Ministério do Trabalho determinou a interdição da barragem e o Corpo de Bombeiros afirmou que a estrutura é propensa ao rompimento. No final de novembro, a CSN Mineração protocolou um laudo junto ao MPMG em que atesta a segurança da barragem.


Últimas Notícias:

Série: Recuperação De áreas Mineradas | Bamin Desenvolve Centro De Conservação Sócio Ambiental

Cbmm Vê Retomada Da Demanda De Nióbio E Projeta Crescer 7% No Ano

Toneladas E Mais Toneladas De Carga Em Viracopos

Mpf Pede Suspensão Imediata Da Atividade Em Bacia De Rejeitos Da Hydro Alunorte

Perda De Market Share Dificulta Reativação De áreas Primárias Da Usiminas

    BRASIL MINING SITE® - Todos os direitos reservados          desenvolvido por: Area Creations